Páginas

Senai inscreve para cursos em diversas áreas em Campina Grande


Entre os cursos está o de Costura Industrial, que é gratuito.
Há também vagas para cursos gratuitos na modalidade a distância.

Do G1 PB

  •  
Cursos ligados à aprendizagem industrial serão ministrados (Foto: Heider Betcel/Senai)
Cursos ligados à aprendizagem industrial são
ministrados no Senai (Foto: Heider Betcel/Senai)
Estão abertas as inscrições para os cursos de Costura Industrial, Técnico em Produção de Moda, Confeiteiro, Padeiro, Eletricista de Automóveis, Mecânico de Injeção Eletrônica e Desenhista Copista CAD, oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em Campina Grande. A carga horária das aulas varia entre 20 a 960 horas. São oferecidas vagas em turmas para os turnos da manhã, tarde e noite.
Há também vagas para cursos gratuitos na modalidade a distância, com vagas nos seguintes cursos: Desenhista de Produtos Gráficos (Web), Operador de Computador, Mecânico de Manutenção de Motocicletas, Mecânico de Motor de Ciclo Otto e Eletricista Industrial.

Já para se matricular no curso técnico em Produção de Moda, que tem carga horária de 960 horas, é necessário que o candidato tenha concluído ou esteja cursando o ensino médio. As aulas serão realizadas no turno da noite, das 18h às 22h, de segunda a sexta-feira. Mais informações, ligue: (83) 3182-0217.
Podem se matricular no Curso de Costura Industrial que é gratuito, candidatos que tenham concluído o Ensino Fundamental. O curso tem duração de 40 dias, e as aulas vão acontecer nos turnos da manhã e tarde. Para se inscrever é necessário comparecer ao Centro de Tecnologia da Moda Geralda Júlia Régis de Araújo – CT Moda do SENAI, em Campina Grande, localizado no Distrito Industrial. O interessado deve levar CPF, RG, Comprovante de Residência e uma foto 3x4.
Para os cursos de Confeiteiro de Padeiro, Eletricista de Automóveis, Mecânico de Injeção Eletrônica e Desenhista Copista CAD, as matrículas devem ser realizadas no próprio SENAI, localizado na Avenida Dom Pedro II, no, Bairro da Prata, em Campina Grande. Os interessados devem apresentar a cópia dos documentos pessoais nos turnos da manhã de 7h às 11h, pela tarde das13h às 17h ou a noite das 18h às 21h.
Cursos a Distância
Todos os cursos da modalidade a distância têm início previsto para o mês de maio. Nessa modalidade, estão sendo oferecidas vagas nos seguintes cursos: Desenhista de Produtos Gráficos (Web), Operador de Computador, Mecânico de Manutenção de Motocicletas, Mecânico de Motor de Ciclo Otto e Eletricista Industrial. São oferecidas 20 vagas para cada turma e as aulas acontecerão nos turnos manhã, tarde e noite nos cursos de Desenhista de Produtos Gráficos (web) e Operador de Computador, que possuem carga horária de 160 horas.

Os cursos de Mecânico de Manutenção de Motocicletas, têm carga horária de 300 horas, e as aulas serão no turno da tarde. O de Mecânico de Motor Ciclo Otto, tem carga horária de 260 horas, e será realizado no turno da manhã. O de Eletricista Industrial, com carga horária de 380 horas, acontecerá no turno da manhã
.
Leia mais

Ao extraditar Pizzolato, Itália deu lição ao Brasil


Josias de Souza
Ao autorizar o envio do mensaleiro Henrique Pizzolato para cumprir pena de 12 anos e 7 meses na penitenciária da Papuda, o governo da Itália deu uma lição institucional ao regime petista do Brasil. Embora dispusessem de amparo legal para se vingar do desaforo que foi a não extradição de Cesare Battisti, as autoridades italianas preferiram fazer Justiça.
Brasil e Itália firmaram um tratado de extradição em 1989. A peça prevê que os dois países devem devolver um ao outro pessoas que estejam em seus territórios e que sejam procuradas pelas autoridades judiciais para responder a processo penal ou cumprir pena de prisão já definida em sentença. Porém…
O documento abre uma exceção. Anota que Brasil e Itália podem optar pela “recusa facultativa da extradição” quando a pessoa procurada for um nacional. É o caso de Pizzolato. Dono de dupla cidadania, o condenado é, aos olhos da lei, tão italiano quanto brasileiro. Quer dizer: se quisesse, a Itália poderia reter Pizzolato. E ninguém teria nada com isso.
A tramitação dos casos Battisti e Pizzolato foi parecida. Em ambos a instância máxima do Judiciário dos dois países deferiu a extradição, transferindo a palavra final para as instâncias administrativas. Nesse estágio, a decisão ganha contornos políticos.
No episódio envolvendo Battisti, condenado a prisão por envolvimento em quatro assassinatos na década de 70, Lula deu de ombros para a decisão judicial. Sem cidadania brasileira, Battisti foi premiado com o status de refugiado político. O morubixaba do PT abraçou a tese segundo a qual o condenado correria risco de morrer se fosse devolvido ao seu país. Tratou a Itália como se fosse uma ditadura de quinta.
Deu-se o oposto no caso Pizzolato. Embora o condenado fosse um nacional, a Itália refugou a alegação de que o julgamento do Supremo tivera conotação política. Munidos de garantias de que o Estado brasileiro zelaria pela integridade física do preso, o tribunal e o governo italianos ignoraram também o lero-lero de que não haveria nas cadeias brasileiras um mísero recanto em condições de hospedar Pizzolato.
Ironicamente, a advogada Emmanuelle Fragasso, que integra a defesa de Pizzolato, evocou a decisão de Lula. “O caso do Battisti mostrou que não existe reciprocidade” possível com o governo brasileiro, disse ela, como a realçar que o Brasil não merecia receber Pizzolato. Não colou.
Ao extraditar Pizzolato, a Itália dispensou ao Brasil um respeito que não obteve. De resto, rendeu homenagens ao brocardo: a justiça começa em casa. E a casa do pseudo-italiano Pizzolato, para além das espertezas, é uma prisão no Brasil.
Leia mais

Campanha de Vacinação contra a Gripe deste ano começa no dia 4 de maio

Campanha de Vacinação contra a Gripe deste ano começa no dia 4 de maio
A Campanha de Vacinação contra a Gripe 2015 será realizada no período de 4 a 22 de maio na Paraíba, sendo o "Dia D" com mobilização no município de Brejo do Cruz, no dia 9. A meta da campanha é imunizar 80% da população de 939.009 pessoas, entre crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes (em qualquer período gestacional; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores de saúde; população indígena; idosos (a partir dos 60 anos); população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, a exemplo de hipertensão, diabetes, doenças cardíacas e respiratórias.  O público alvo deverá levar o cartão de vacinação.
"O objetivo dessa campanha é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrente de infecções pelo vírus da Influenza para esse público alvo. Com a vacina, o número de internações decorrentes de quadros de gripe deve reduzir, assim como casos mais graves da doença, por isso é muito importante que as pessoas se vacinem", disse o enfermeiro do Núcleo Estadual de Imunizações, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Edson Lira.
Ainda segundo Edson, até o momento, a SES recebeu do Ministério da Saúde 28% das doses, sendo que 18% já foram enviados às Gerências Regionais de Saúde (GRS) e até quarta-feira (29) serão entregues mais 10%. "À medida que formos recebendo o quantitativo suficiente daqui para o dia 4 de maio, quando a campanha começa, iremos abastecendo todo o estado", disse. Ele lembrou que a vacina contra a gripe é trivalente, ou seja, previne contra três tipos do vírus: H1N1, H3N2 e B.
A campanha de vacinação contra a gripe 2015 será realizada em todas as Unidades de Saúde da Família de todos os municípios paraibanos. Fica a critério de cada município definir se terão postos volantes.
Dia D - A SES realizará o "Dia D" de mobilização contra a gripe no dia 9 de maio, no município de Brejo do Cruz, das 8h às 17h. "O Governo do Estado disponibiliza as vacinas e todas as orientações técnicas para que os municípios possam realizar uma campanha com qualidade", disse o enfermeiro da SES.
Sintomas - Os sintomas da gripe são: o comprometimento das vias aéreas, congestão nasal, tosse, rouquidão, febre (geralmente alta), mal estar, dores no corpo e de cabeça.  A transmissão do vírus acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Ocorre também por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Em caso de síndrome gripal, deve-se procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. "A melhor prevenção para o vírus influenza é a vacinação, que acontece anualmente. Ações 
 simples como lavar as mãos e ter contatos em ambientes com aglomeração podem evitar contaminação", concluiu Edson Lira.
Leia mais

APLP recore a Justiça contra ilegalidade da greve dos professores

O Departamento Jurídico da associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado (APLP-PB) vai impetrar um agravo de instrumento, nesta segunda-feira (27) junto ao Tribunal Justiça da Paraíba contra a decisão do desembargador João Alves da Silva que acatou pedido de ilegalidade da greve dos educadores.
Ontem, além de determinar o retorno dos professores às salas de aulas em 48h, desembargador estipulou multa diária de R$ 5.000 e o corte do ponto dos professores em caso de desobediência.
Os professores programaram uma série de atividades a partir desta terça-feira, a exemplo de Assembleias Regionais (locais a serem definidos, de acordo com a Regionais). Na quinta-feira (30) os docentes se reúnem em Assembleia Geral Estadual na quinta-feira (30), em frente da Assembleia Legislativa, a partir das 9 horas da manhã, para avaliar os rumos do movimento.
Os professores estão em greve desde o dia 31 de março e reivindicam reajuste 13,01%, por força de lei federal; reajuste de 9% e Regime de Trabalho T-30 para os funcionários; revisão do PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) do Magistério e aprovação do PCCR dos Funcionários; elevação da gratificação de diretor/a e eleições diretas em todas as escolas, além do pagamento Integral do piso do Magistério.
Leia mais

Dirceu diz à Justiça que fechou sua consultoria


Josias de Souza

José Dirceu informou à Justiça Federal do Paraná que fechou sua empresa, a JD Assessoria e Consultoria Ltda.. As atividades da firma foram encerradas em dezembro de 2014, anotou o advogado de Dirceu, Roberto Podval, emcorrespondência dirigida ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro.
Considerando-se o faturamento da JD, é como se o proprietário José Dirceu matasse uma galinha dos ovos de ouro. Entre 2006 e 2012, a empresa faturou R$ 29 milhões —ou uma média de R$ 4,8 milhões por ano. Parte dessa dinheirama veio de empresas pilhadas no escândalo da Petrobras. Coisa de R$ 8,78 milhões.
Dirceu enfia sua próspera consultoria no saco num instante em que seus advogados guerreiam no Judiciário para tentar impedir que o juiz Moro quebre seus sigilos bancário e fiscal. Deseja-se saber se a JD prestou mesmo consultoria à clientela ou se apenas simulou contratos para dar aparência legal a propinas extraídas de obras da Petrobras.
“Diante da notória influência de José Dirceu de Oliveira e Silva no Partido dos Trabalhadores e da prévia verificação de que as empreiteiras teriam se valido de consultorias fictícias para pagamento de propinas, razoáveis as razões para a decretação da quebra de sigilo bancário e fiscal diante dos lançamentos de pagamentos identificados'', escreveu Sérgio Moro numa de suas manifestações.
“Alguns contratos [de José Dirceu] apresentam algumas inconsistências […] Enfim, há várias inconsistências que necessitam ser esclarecidas com o aprofundamento das investigações, sendo imprescindíveis as quebras de sigilo fiscal e bancário'', anotou o magistrado noutro trecho.
Leia mais

Senadores defendem novas medidas para reduzir infrações cometidas por menores


Cristovam Buarque ressaltou que, embora entenda o sentimento de vingança por parte de quem sofre uma perda em decorrência de um ato praticado por menor, o Parlamento "não deve cair na tentação" de simplesmente seguir a vontade da maioria na questão da maioridade
Geraldo Magela/Agência Senado
Senadores defendem novas medidas
Senadores presentes à audiência pública da Comissão de Direitos Humanos (CDH) sobre a maioridade penal questionaram a eficácia de uma eventual redução do limite de 18 para 16 anos e enfatizaram a obrigação de o Estado prover a assistência necessária às crianças e aos adolescentes.



O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou que políticas voltadas ao delito estão destinadas ao fracasso. Para ele, o Estado deve voltar sua atenção aos jovens, identificando fatores de risco, como o afastamento da escola.

Lindbergh mencionou experiência da cidade de São Carlos (SP), que, ao mudar o foco para a pessoa do menor infrator, viu a redução do número de homicídios, da taxa de reincidência e do número de internados.

Cristovam Buarque (PDT-DF) ressaltou que, embora entenda o sentimento de vingança por parte de quem sofre uma perda em decorrência de um ato praticado por menor, o Parlamento "não deve cair na tentação" de simplesmente seguir a vontade da maioria na questão da maioridade.

Em sua avaliação, a mudança na maioridade não reduziria a violência e levaria à condenação penal de jovens que não receberam o devido apoio, principalmente educacional.

A senadora Regina Sousa (PT-PI) citou as medidas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para refutar a alegação de que crianças e adolescentes infratores não são punidos. Segundo ela, as entidades contrárias à redução têm de pressionar os parlamentares.

Telmário Mota (PDT-RR), que preside a audiência pública, destacou que a preocupação da CDH é de ouvir especialistas no assunto, independentemente de serem contra ou a favor da redução da maioridade. Portal Correio
Leia mais

PSB inicia discussão formal sobre possibilidade de fusão com o PPS e na PB pode ver RC e Nonato no mesmo partido de novo


O PSB começa a discutir formalmente a possibilidade de fusão com o PPS. Os dois partidos abriram conversas no ano passado, entre Eduardo Campos e Roberto Freire. Com a morte de Campos, o assunto parou. E será agora retomado em reunião da executiva do PSB, marcada para esta terça-feira (28) em Brasília.
Os dois partidos andaram juntos no ano passado – o PPS participou da coligação que lançou a candidatura de Eduardo Campos à Presidência e depois apoiou a candidatura de Marina Silva. Já era o processo de aproximação.
Nas primeiras conversas, Roberto Freire admitia manter a sigla “Partido Socialista Brasileiro”, e o número 40 do aliado.
Se a fusão vingar, a nova bancada ganhará dez deputados eleitos pelo PPS e ficará com 42 deputados – a quarta maior na Câmara; e mais um senador – ficando a bancada com sete.
Os dois partidos, no entanto, tiveram comportamentos diferentes nos últimos anos: o PSB se aliou ao governo do PT em 2003 e apoiou a reeleição de Lula em 2006 e a primeira campanha de Dilma Rousseff, em 2010. Já o PPS sempre foi crítico do governo petista e se tornou aliado sistemático do PSDB nas mesmas campanhas presidenciais.
Neste momento, o PSB no Senado declarou independência – não quer andar junto com a oposição feita pelo PSDB e DEM. Senadores do partido retiraram assinaturas ao pedido de instalação de CPIs, como a apresentada para investigar os empréstimos do BNDES, investigação que o governo do PT atuou fortemente para barrar. Agora, há outro pedido de CPI para investigar os fundos de pensão nos últimos 12 anos, proposta pela oposição. A eventual fusão com o PPS pode barrar eventual movimento de reaproximação do PSB com o governo.

Outra novidade: Roberto Freire deixará de presidir um partido político – coisa que não acontece desde a década de 80, quando saiu da clandestinidade o antigo PCB, que depois se transformou no PPS. Resta saber se, com a fusão, o caminho a legenda vai seguir – mais próxima ao PT ou à oposição.

G1
Leia mais

Em protesto, caminhoneiros estão parados em 19 pontos de dez rodovias federais


Aumentou, na tarde de ontem (24), o número de manifestações de caminhoneiros que cobram do governo federal a fixação de um valor mínimo para o frete, de acordo com balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgado após as 18h. O relatório informa que existem 19 pontos de interdição em dez rodovias federais de cinco estados. De manhã, havia dez pontos de manifestação em quatro unidades da federação.

As manifestações ocorrem em Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Ceará e Goiás. No Ceará, os caminhoneiros bloqueiam totalmente o km 213 da rodovia BR-116, nas proximidades da cidade de Tabuleiro do Norte. As demais interdições são parciais.

Em Mato Grosso, são oito interdições em diferentes pontos de duas rodovias, as BRs-163 e 364, nas proximidades dos municípios de Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Diamantino, Nova Mutum, Sorriso, Guaratã do Norte e Alto Garças.

No Rio Grande do Sul, ocorrem bloqueios nas BRs-472, 285, 392, 468, 158 e 101 em locais próximos aos municípios de Santa Rosa, Ijuí, São Sepé, Palmeira das Missões, Panambi e Três Cachoeiras. Em Goiás, o protesto é na cidade de Jataí, na BR-364. Também há manifestações nas cidades paranaenses de Capanema, Guaraniaçu e Pérola do Oeste, em trechos das BRs-63 e 277.

Líderes dos motoristas reuniram-se na quarta-feira (22) com representantes do governo e empresários para reivindicar a aprovação de uma tabela de frete mínimo para o transporte de mercadorias. Os caminhoneiros alegaram que a medida traria mais proteção à categoria em casos de oscilação do mercado. A proposta não foi aceita pelo governo.

Segundo o secretário-geral da Presidência da República, ministro Miguel Rossetto, um valor mínimo para o transportes de cargas é inconstitucional. Para tentar solucionar o impasse, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou hoje (24), no Diário Oficial da União, uma resolução instituindo o procedimento para elaboração de uma tabela que servirá como referência para os custos de fretes.



EBC
Leia mais

Preso, amigo de Lula admite delação premiada


alx_jose-aldemario-pinheiro-net-leo-oas-89-jpg_original
O engenheiro Léo Pinheiro cumpre uma rotina de preso da Operação Lava-Jato que, por suas condições de saúde, é mais dura do que a dos demais empreiteiros em situação semelhante. Preso há seis meses por envolvimento no esquema do petrolão, o e­­x-presidente da OAS, uma das maiores construtoras do país, obedece às severas regras impostas aos detentos do Complexo Médico-Penal na região metropolitana de Curitiba. Usa o uniforme de preso, duas peças de algodão a­­zul-claras. Tem direito a uma hora de banho de sol por dia, come “quentinhas” na própria cela e usa o banheiro coletivo. Na cela, divide com outros presos o “boi”, vaso sanitário rente ao piso e sem divisórias. Dez quilos mais magro, Pinheiro tem passado os últimos dias escrevendo. Um de seus hábitos conhecidos é redigir pequenas resenhas e anexá-las a cada livro lido. As anotações feitas na cela são muito mais realistas e impactantes do que as literárias. Léo Pinheiro passa os dias montando a estrutura do que pode vir a ser seu depoimento de delação premiada à Justiça. Pinheiro foi durante toda a década que passou o responsável pelas relações institucionais da OAS com as principais autoridades de Brasília. Um dos capítulos mais interessantes de seu relato trata justamente de uma relação muito especial – a amizade que o unia ao e­­x-presidente Lula.
De todos os empresários presos na Operação Lava-Jato, Léo Pinheiro é o único que se define como simpatizante do PT. O empreiteiro conheceu Lula ainda nos tempos de sindicalismo, contribuiu para suas primeiras campanhas e tornou-se um de seus mais íntimos amigos no poder. Culto, carismático e apreciador de boas bebidas, ele integrava um restrito grupo de pessoas que tinham acesso irrestrito ao Palácio do Planalto e ao Palácio da Alvorada. Era levado ao “chefe”, como ele se referia a Lula, sempre que desejava. Não passava mais do que duas semanas sem manter contato com o presidente. Eles falavam sobre economia, futebol, pescaria e os rumos do país. Com o tempo, essa relação evoluiu para o patamar da extrema confiança – a ponto de Lula, ainda exercendo a Presidência e depois de deixá-la, recorrer ao amigo para se aconselhar sobre a melhor maneira de enfrentar determinados problemas pessoais. Como é da natureza do capitalismo de estado brasileiro, as relações amigáveis são ancoradas em interesses mútuos. Pinheiro se orgulhava de jamais dizer não aos pedidos de Lula.
Veja
Leia mais

Lula e Dilma vão do não sabia para o nada a ver


Josias de Souza
.
Preocupados com a saúde e com a imagem, Lula e Dilma incorporaram os exercícios físicos às suas rotinas. Estão satisfeitos com os resultados. Menos roliço, ele exibiu-se num vídeo. E ela celebrou com jornalistas o suadouro que a livrou de 13 quilos: “Eu me esforcei, né? Fiz exercício…Mas é às 7h da manhã, viu?'' Os novos hábitos fizeram bem ao criador e à criatura. Hoje, eles não carregam peso nem na consciência.
Lula, por exemplo, não tem nada a ver com o fiasco gerencial de sua pupila. “O fracasso de Dilma será o fracasso do PT, e o fracasso do PT será o fracasso de Dilma”, disse ele, como que lavando as mãos, num encontro do partido em São Paulo. Lula carregou Dilma nos ombros em 2010 e 2014. Vendeu-a como supergerente. Mas não tem nada a ver com a incúria administrativa dela.
O governo está tonto e sem agenda. Isso acontece a despeito dos contatos permanentes que Dilma mantém com seu padrinho e conselheiro político —ao vivo e por telefone. Mas Lula não tem nada a ver com a falta de rumo do Planalto. “Não podemos fracassar”, ele disse, agachando-se atrás do plural. “Temos que dizer ao PT qual a estratégia que vamos adotar no segundo mandato e qual a política industrial que vamos ter.”
A Petrobras encontra-se em ruínas. Acaba de contabilizar em seu balanço tardio perdas de R$ 50,8 bilhões —R$ 6,194 bilhões desapareceram no sumidouro da corrupção e R$ 44,63 bilhões perderam-se nos desvãos da incompetência administrativa. Mas nem Dilma nem Lula têm nada a ver com isso.
Numa entrevista concedida em Brasília, ela afirmou que, depois da escrituração dos prejuízos, a Petrobras “superou todos os problemas de gestão ligados à questão da Lavo Jato que por ventura ainda estivessem pesando''.
Na opinião dele, “se alguém cometeu algum ilícito ao captar dinheiro para financiar campanha tem que pagar”. João Vaccari Neto, o amigo que Lula avalizou na tesouraria do partido, está preso. Mas o morubixaba do PT, além de não ter nada a ver com coisa nenhuma, avalia que Vaccari é inocente. “Até a cunhada dele foi solta e nem pediram desculpas”, disse.
A bancada da Papuda já foi para casa, mas Henrique Pizzolato está na bica de chegar da Itália para reavivar a tatuagem do mensalão, espécie de segunda pele do PT. E continua em cartaz o petrolão, com direito a reencenações de José Dirceu. Lula não tem nada a ver com isso. Dilma também não.
A Petrobras é “uma grande empresa do ponto de vista financeiro'', disse ela, como uma Alice no país dos larápios. A estatal gera muitos empregos, declarou, saltitando à beira do precipício. E a companhia “está sendo premiada por ter resolvido como explorar petróleo em águas profundas ou superprofundas, que têm temperaturas e pressões extremas'', Dilma celebrou.
“Temos que levantar a cabeça”, ensinou Lula. “Somos milhões e não será pelo erro de um (!!!) ou dois (!!!) que vamos permitir que o partido acabe. Quem acreditar nisso vai quebrar a cara.” Nesse ponto, a militância atingiu uma espécie de orgasmo cívico, ovacionando o orador como opção presidencial para 2018.
São insondáveis os efeitos da dieta e da malhação na consciência de Lula e Dilma. O país está diante do desconhecido. A liberação de endorfina transportou as duas principais lideranças do PT do estágio da cegueira absoluta para a fase da alienação plena. Resta ao país acreditar na completa falta de responsabilidade da dupla. Pois se Lula e Dilma não sabiam de nada do que se passou nos últimos 12 anos, por que teriam que ter algo a ver com alguma coisa?
Leia mais

Secretaria de planejamento de Campina Grande investiga repasse irregular de casas

Reprodução/TVPB
Pessoas estão se inscrevendo nos Programas Habitacionais do Governo, em Campina Grande,  e quando recebem o imóvel vendem , trocam ou alugam para terceiros, mas, tal pratica é irregular .
Tais procedimentos estão sendo investigados pela Secretaria Municipal de Planejamento, que já identificou 110 casos de repasses irregulares de apartamento no condomínio Major Veneziano no bairro das Cidades.
A prefeitura campinense recebeu várias denúncias de moradores do local e vai intensificar as fiscalizações, inclusive, no Residencial Vila Nova da Rainha, no bairro de Bodocongó.
Os casos identificados foram encaminhados para a Caixa Econômica Federal, que deverá tomar as providências para o despejo do inquilino e a realização de um novo sorteio para contemplar outras pessoas cadastradas.
Os imóveis fazem parte do programa Minha Casa,Minha Vida, do governo federal em parceira com a prefeitura.
Com informações da TV PB
Leia mais

Dilma determina sigilo sobre obras que integrarão pacote de infraestrutura


Durante dez horas, a presidente Dilma Rousseff reuniu ministros para definir as obras de infraestrutura priorítarias que vão compor o programa de concessões do governo federal e parcerias público-privadas (PPP) para este ano.
A presidente determinou sigilo sobre quais obras foram decididas para cada área. Durante as dez horas de reunião, estiveram ao lado de Dilma os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Nelson Barbosa (Planejamento), Joaquim Levy (Fazenda), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Kátia Abreu (Agricultura) e Edinho Silva (Comunicação Social).
Já os ministros Antônio Carlos Rodrigues (Transporte), Gilberto Occhi (Integração Nacional), Eliseu Padilha (Aviação Civil), Edinho Araújo (Portos) passaram pelo Palácio da Alvorada para apresentar as prioridades de cada uma das pastas para eliminar gargalos de infraestrutura no país.
Durante a reunião a ministra Izabella Teixeira foi indicando quais obras poderiam apresentar problemas ambientais e quais não.

Agora, após a reunião, os ministros da área econômica irão definir quais obras poderão entrar no programa de concessões do governo e quais serão feitas por meio de PPPs. Além disso, os ministros irão compatibilizar o que vai poder ser executado com recursos do governo e o que vai ser cortado.

G1
Leia mais

Presidente da Assembleia acusa dirigente do PSB de prejudicar aliados

Paraibaonline
O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), lamentou, neste sábado, 25, o tratamento que vem sendo dado pelo dirigente do partido em Campina Grande, Fábio Maia, aos seus aliados políticos na cidade.

“Em Campina Grande não sou ouvido para nada. Fábio Maia quer monopolizar as atenções, usa o cargo de chefe de gabinete do governador para pressionar, colocar e retirar prestadores de serviço, e isso não faz parte da forma com a qual nosso partido trabalha”, lamentou o presidente da ALPB.
Ascom
Leia mais

Dilma se esforçou para perder peso, mas perdeu tambem o brasileiro

‘Me esforcei’, diz Dilma sobre perda de peso

‘Me esforcei’, diz Dilma sobre perda de peso
Após receber elogios pela boa forma, a presidente Dilma Rousseff fez questão de destacar, nesta sexta-feira (24), que a redução dos quilinhos na balança se deu após certo sacrifício.

“Eu me esforcei, né? Fiz exercício... Mas é às 7h da manhã, viu? Tem que estar tudo pronto 7h45”, afirmou bem-humorada à imprensa, enquanto aguardava, no Palácio Itamaraty, a chegada de sua homóloga da Coreia do Sul, Park Geun-hye.

“Sabe aquela história que a gente tem que madrugar cedo? Deus ajuda a quem cedo madruga?”, emendou Dilma ao falar da rotina de exercícios.

Desde que aderiu à dieta Ravenna, no final do ano passado, Dilma perdeu pouco mais de 13 quilos e passou a exibir silhueta mais enxuta. Proposta pelo endocrinologista argentino Máximo Ravenna, a dieta não inclui alimentos com farinha branca, doces e carboidratos.

O almoço oferecido à delegação coreana, no entanto, fugiu ao roteiro de poucas calorias diárias. O menu elaborado pelo Itamaraty incluiu entrada de tortinha de carne seca, abóbora e catupiry e, como prato principal, moqueca capixaba, arroz (branco), farofa e vatapá.,

Para a sobremesa, frutas. A opção saudável, no entanto, tinha entre os concorrentes quitutes como bolo de rolo, sorvete de tapioca e calda de pitanga.



Jornal do Commércio
Leia mais

Rui Falcão: aéticos não ficam no PT! Hã, hã…


Josias de Souza
Discursando num congresso do PT de São Paulo, Rui Falcão, o presidente do partido, declarou o seguinte na noite passada: “Quem erra no caminho ético não pode continuar em nossas fileiras, essa é uma regra que os outros [partidos] não aplicam.'' Abrem-se diante desta declaração três possibilidades:

1Expulsão em massa: o PT talvez esteja planejando uma faxina nos seus quadros. Suspeitos como o tesoureiro João Vaccari Neto terão de colocar de molho as barbas. Condenados como José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares não passam de expulsões esperando para acontecer.
2Bolsa palhaço: é possível que o companheiro Falcão cogite sugerir ao governo Dilma o lançamento do Bolsa Palhaço, um grande programa de requalificação profissional, destinado a atenuar o desemprego. Prevê a distribuição gratuita de um kit-palhaço contendo narizes vermelhos, colarinhos folgados e sapatos gigantescos.
3Revolução da língua: Ou os brasileiros estão diantes de uma das duas alternativas anteriores ou o Brasil ficou desobrigado de fazer sentido. Depois que o presidente do PT diz que os aéticos não podem continuar no partido e mantém nas fileiras da legenda a bancada da Papuda, implantou-se no país a revolução do vale-tudo semântico.
Leia mais

Ministro da Justiça será ouvido pelo Plenário da Câmara na quarta-feira

A sessão de debates (comissão geral) no Plenário na Câmara com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi remarcada para quarta-feira (29). O ministro vai explicar aos deputados a agenda e as prioridades da sua pasta.

O encontro faz parte da série de comissões gerais que a Câmara promoverá com os 39 chefes de ministérios. A ideia é que, em regra, todas as quintas-feiras algum ministro venha à Casa apresentar suas propostas.

Cardozo está à frente do ministério desde o início do primeiro mandato de Dilma Rousseff, em 2011.
Fonte: Agência Câmara
Leia mais

Bandidos trocam tiros com a polícia e são presos em CG


Bandidos trocam tiros com a polícia e são presos em CG
A Polícia Militar prendeu dois homens que resistiram à abordagem policial realizando vários disparos de arma de fogo contra a viatura da Força Tática do 2º Batalhão, na noite dessa sexta-feira (24), no bairro Santa Rosa, em Campina Grande. Iago Vieira Ferreira, de 22 anos, e Tiago Felipe da Silva Justino, de 26, foram presos com um revólver calibre 38.

De acordo com os policiais que realizaram a prisão, por volta das 23h os dois foram interceptados em atitude suspeita no bairro, mas não obedeceram a ordem para parar e durante a fuga numa moto o garupa começou a atirar contra o para-brisas da viatura, com objetivo de atingir os policiais. A PM revidou aos disparos e na perseguição conseguiu deter os dois acusados.

A dupla foi apresentada na Central da Polícia Civil, em Campina Grande, sob acusação de tentativa de homicídio.



Secom
Leia mais
 
FALA PREFEITO | Layout: Lenildo Ferreira Consultoria em Comunicação Contato © Blog de responsabilidade do radialista Edson Pereira