Páginas

Mais de 6 mil condutores estão prestes a ter carteira suspensa na PB


O Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) está alertando aos motoristas sobre as penalidades previstas pela legislação federal para quem acumular 20 pontos ou mais na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). No Estado, 6.364 pessoas estão com mais de 19 pontos e podem ter a carteira suspensa, ficar impedido de renovar ou transferir o documento, entre outras punições. 
De acordo com os dados do Detran-PB da última segunda-feira, a Paraíba tem um total 724.103 condutores com habilitação expedida pelo órgão, dessas   812 já estão com o direito de dirigir suspenso porque o motorista cometeu infração.  Com isso, os motoristas que têm interesse em saber a sua pontuação no prontuário da CNH, pode acessar o site do Departamento de Trânsito com o registro da carteira ou do veículo infrator para saber a situação.

Quem atingir ou ultrapassar os 20 pontos pode ficar impedido de renovar ou transferir a CNH, entre outras penalidades previstas pela legislação federal. No entanto, esses motoristas podem apresentar defesa e não têm a habilitação suspensa imediatamente, alerta o superintendente do Detran-PB, Aristeu Chaves.

"Nossa intenção é alertar o condutor de que ele deve redobrar a atenção para não ter suspenso o direito de dirigir, pois isso pode causar transtornos na rotina dele. Por outro lado, é uma oportunidade de reforçar a necessidade de respeitar as leis de trânsito, pois a busca por mais segurança e cidadania nas vias é responsabilidade de todos", ressaltou Aristeu.

De acordo com o assessoria jurídica do Detran-PB, o condutor notificado por suspensão tem até 30 dias para apresentar sua defesa, se não apresentar ou tiver o recurso negado, deve entregar a carteira suspensa no órgão de trânsito.

No caso do condutor que foi autuado por infração gravíssima, em que automaticamente há suspensão do direito de conduzir, a exemplo dirigir alcoolizado, a habilitação será apreendida e remetida para o Detran. Em um prazo máximo de cinco dias, o motorista terá a CNH devolvida e será informado sobre o direito de ampla defesa e do contraditório assegurado, mediante o recebimento das notificações de autuação e penalidade de multa.

Durante o período de suspensão, que varia entre um mês e um ano, o motorista deve passar por um curso de reciclagem de 30 horas, que pode ser feito nos Centros de Formação de Condutores ou empresas credenciadas. Com o certificado de conclusão, e cumprido o período determinado, o motorista poderá ter a CNH de volta.

Os condutores que não entregarem a carteira e os que entregarem, mas forem flagrados conduzindo veículos, terão a habilitação cassada por dois anos. A suspensão impõe que, além de ficar por dois anos sem dirigir, o motorista reinicie o processo de habilitação, precisando cursar novamente as aulas teóricas, práticas e provas para conseguir uma nova carteira.
Leia mais

Diretório do PT ataca postura do Governo Dilma

O documento divulgado no final de semana pela comissão executiva do diretório do PT de São Paulo, como orientação à participação da representação estadual no congresso nacional do partido, que acontece em junho, não poderia ser, ao mesmo tempo, mais preocupante e desalentador para a presidente Dilma.

“Nossa defesa do governo que elegemos não pode nos afastar das ruas e dos movimentos sociais (...) Entendemos as razões do governo, mas o governo tem que entender as razões do PT (...) A agenda do governo não pode paralisar o PT.

“A agenda do governo nos últimos meses, em que pese suas razões, se distancia do que o PT sempre representou e do que sua base social aspira.


“Está evidente a gravidade do momento atual sobre a trajetória e o futuro do PT (...) A agenda do presente exige respostas imediatas e contundentes das nossas direções e de nossa militância.”
*fonte: jponline
Leia mais

Polícia faz operação surpresa e prende dirigentes da Fifa por corrupção


Segundo o "The New York Times", policiais invadiram hotel cinco estrelas de Zurique e efetuaram prisões. Ex-presidente da CBF, José Maria Marin seria um dos detidos

Por 
Zurique, Suíça
A polícia da Suíça prendeu, na madrugada desta quarta-feira em um hotel de Zurique pelo menos seis dirigentes da Fifa sob a acusação de corrupção. De acordo com o "The New York Times", a ação dos suíços foi movida por um pedido de autoridades americanas. Os suspeitos poderão ser extraditados para os Estados Unidos. O Departamento Federal de Justiça suíço informou que está questionando 10 dirigentes sobre a votação para escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022. Uma nota oficial da Advocacia-geral do país informou que procedimentos criminais foram abertos sobre o caso. Segundo a emissora britânica BBC, o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, estaria entre os detidos. 
Delegados de quase todas federações de futebol estão em Zurique para o congresso da FIFA marcado para esta sexta-feira - no qual Joseph Blatter tentaria buscar  seu quinto mandato como presidente da entidade. O único detido identificado até o momento foi Jeffrey Webb, presidente da CONCACAF (Confederação das Américas Central e do Norte). O porta-voz da FIFA, Walter de Gregorio, disse que Blatter não está entre os acusados. 
- Ele não está envolvido de modo algum - disse.
Segundo o jornal, as acusações baseadas numa investigação do FBI que começou em 2011 apontam corrupção generalizada na FIFA nas últimas duas décadas - envolvendo a disputa pelo direito de sediar as Copas da Rússia (2018) e Catar (2022) - além de contratos de marketing e televisionamento. O rival de Blatter na eleição, o príncipe saudita Ali Bin Al Hussein, comentou para a emissora inglesa BBC:
- Hoje é um dia triste para o futebol. É uma história em andamento - cujos detalhes ainda estão aparecendo. 
Fontes da justiça americana dizem, segundo o jornal, que 14 pessoas ligadas à FIFA serão indiciadas por crimes como fraude, lavagem de dinheiro e extorsão.  Eles seriam o citado Webb (Ilhas Cayman), vice-presidente da comissão executiva e presidente da Concacaf; Eugenio Figueredo (Uruguai), que também integra o comitê da vice-presidência executiva e até recentemente era presidente da Conmebol; Jack Warner (Trinidad e Tobago), ex-vice-presidente da Fifa e ex-presidente da Concacaf, acusado anteriormente de inúmeras violações éticas; Julio Rocha (Nicarágua), presidente da Federação Nicaraguense; Costas Takkas; Rafael Esquivel; Nicolás Leoz, ex-presidente da Conmebol; e o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da CBF.
Hotel Baur au Lac Suíça Fifa (Foto: Reuters)Os policiais efetuaram as prisões no belo e tradicional hotel de Zurique (Foto: Reuters)


Outro já identificado é Eduardo Li, presidente da Federação da Costa Rica. Após ser apreendido, o dirigente foi conduzido por policiais juntamente com sua bagagem e imediatamente deixou o hotel por uma porta lateral. Além dos dirigentes, cinco executivos de marketing também serão indiciados. 

A Justiça Suíça divulgou nota oficial informando que seis acusados foram presos e aguardarão processo de extradição para os EUA. Segundo a nota, as autoridades americanas acusam os suspeitos de receberem milhões de dólares em subornos. As escolhas de Rússia e Catar como sedes para as duas próximas Copas (2018 e 2022) podem ser o tema central das investigações.
Jack Warner presidente da Concacaf (Foto: Getty Images)Jack Warner presidente da Concacaf (Foto: Getty Images)
Joseph Blatter não está entre os acusados, porém seu nome figura na lista de investigados pela polícia. Segundo informações da TV americana "CNN", o FBI já vinha atuando sobre o caso há cerca de três anos.
A operação surpresa foi realizada por policiais à paisana, que se dirigiram ao balcão de registros do Hotel Baur au Lac e, já de posse das chaves, subiram aos quartos dos suspeitos, efetuando as prisões. Todos os acusados responderão, entre outras, por fraude eletrônica, extorsão e lavagem de dinheiro.
O escândalo das detenções em Zurique pode comprometer a tentativa de reeleição de Blatter à presidência da Fifa. O objetivo do dirigente era deixar encaminhado, na sexta-feira, o acerto para o seu quinto mandato à frente da entidade maior do futebol mundial.

Ainda na manhã desta quarta-feira, a Fifa informou que irá realizar uma conferência de imprensa às 11h (6h no horário de Brasília) em sua sede de Zurique.
Leia mais

CMCG aprova materias e requerimentos de varios vereadores nesta terça


Câmara aprovou matérias de autoria dos vereadores nesta terça-feira
Na sessão ordinária desta terça-feira, os vereadores aprovaram requerimentos de autoria dos vereadores Alexandre do Sindicato, Miguel Rodrigues, Napoleão Maracajá, João Dantas e Miguel da Construção, Rostand Paraíba, Rodrigo Ramos, Josimar Henrique, Afonso Alexandre Regis, Anderson Maia, Aldo Cabral, João Dantas e Nelson Gomes Filho. Todas as matérias foram aprovadas por unanimidades dos parlamentares.

Os vereadores reivindicam através das matérias aprovadas, melhorias para os bairros e distritos de Campina Grande. Entre as reivindicações estão realização de campanhas Contra a Dengue, inclusão do estado da Paraíba no Projeto da Transnordestina, ampliação das linhas que servem ao campus da UEPB e UFCG, construção de postos de saúde, instalação de redutores de velocidade, melhorias na iluminação pública de várias localidades, pavimentação de ruas, pintura de faixas de pedestres em cruzamentos de diversas ruas.

Também foram solicitados serviços como terraplanagem, pavimentação de ruas, criação de campanhas permanente parte da PMCG de incentivo a redução do consumo de água; sinalização do trecho na Avenida Assis Chateaubriand, sentido BR-104; recuperação e preservação da Estação Velha, Campanha publicitárias contra o aborto, no município, construção de campos society no bairro do Velame entre outras solicitações.

As reivindicações aprovadas pelos parlamentares serão encaminhadas pela Câmara, a todos os órgãos públicos indicados nas proposituras, para que sejam tomadas as devidas providencias. matéria da assessoria de imprensa
Leia mais

William Simões acusa dirigente do Botafogo-PB de tentar aliciar jogador do Campinense

Fotos: Paraibaonline
O clima parece ter esquentado nos bastidores do futebol paraibano nesta terça-feira (26), véspera do Clássico Emoção pela terceira rodada do quadrangular final do estadual.
Em entrevista, no início da noite, o presidente do Campinense, William Simões, acusou o diretor executivo de futebol do Botafogo-PB, Jurandir Júnior, de tentar aliciar os jogadores rubro-negros.
- Ele ligou para tentar aliciar um jogador nosso. É lamentável esse tipo de comportamento. Graças a Deus, aqui no Campinense, devido ao nosso trabalho, os jogadores têm a confiança da diretoria. E eu só tenho a lamentar que o senhor Jurandir utilize desse tipo de expediente. O Botafogo-PB é uma grande equipe, tem jogadores de qualidade e um folha salarial alta, não precisa desse tipo de coisa - comentou o mandatário raposeiro.
O dirigente não quis revelar qual o teor da ligação que o diretor do Belo teria feito para um dos atletas do Campinense.
Líder do quadrangular final do Paraibano, a Raposa tem seis pontos em dois jogos.
Nesta quarta-feira, às 20h30, no Amigão, o time do Alto da Bela Vista recebe justamente o Bota-PB, vice-líder da fase, com dois pontos.
Leia mais

Tire as nove principais dúvidas sobre a aposentadoria


Aposentados felizes
A aposentadoria tranquila é o objetivo de grande parte dos brasileiros, todavia, o que se observa na realidade é uma situação em que a grande maioria dos brasileiros passam por grandes dificuldades depois que conquistam esse direito. Mas, quais os motivos para esse problema?
Para esclarecer esta questão o presidente da G. Carvalho Sociedade de Advogados, Guilherme de Carvalho, respondeu as principais dúvidas que recebe diariamente sobre o tema:
  1. Quais os tipos de aposentadorias existentes no Brasil?
Segundo o Regime Geral de Previdência Social, as aposentadorias disponíveis ao segurado do INSS são: Aposentadoria por Tempo de Contribuição; Aposentadoria por Idade, Aposentadoria Especial, Aposentadoria Especial do Deficiente Físico, Aposentadoria do Segurado Especial (Rural); Aposentadoria por Invalidez.
  1. Quem pode solicitar o direito de aposentadoria?
Aqueles que preencheram os requisitos específicos do benefício pretendido. Para a mais comum, que é Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Aposentadoria por Idade, os principais requisitos são:
Aposentadoria por Tempo de Contribuição: 35 anos de contribuição, se homem e 30 anos de contribuição, se mulher.
Aposentadoria por Idade: 65 anos de idade, se homem e 60 anos de idade, se mulher, mais o cumprimento do período de carência de 180 contribuições mensais.
Quais os maiores problemas relacionados à aposentadoria que são observados?
As maiores reclamações são com relação aos valores pelos quais se contribuiu e o resultado final da renda mensal do beneficio. Atualmente, a lei determina que seja feita uma média de todas as contribuições entre Julho de 94 até um mês antes do requerimento do benefício. No entanto, a maioria dos aposentados acreditava que seria mantido o valor aproximado do último salário que recebia antes de se aposentar. Isso sem contar a incidência do fator previdenciário, que reduz ainda mais a média final do benefício. Por fim, tem-se o fato de que este, uma vez concedido, sofre os reajustes anuais pelos índices oficiais do Governo que, nem sempre, acompanham a inflação média do período, o que gera inúmeras queixas sobre defasagem entre o poder de compra inicial do benefício e o atual.
  1. O que é Aposentadoria Especial e quem tem esse direito?
A Aposentadoria Especial é o benefício destinado aos segurados que trabalharam expostos a agentes insalubres, sendo-lhes permitido se aposentar com redução do tempo mínimo necessário. De acordo com o tipo de agente insalubre a que esteve exposto o segurado, este pode requerer o benefício com 15, 20 ou 25 anos de contribuição. A mais comum é a aposentadoria especial com exposição a agentes insalubres pelo tempo mínimo de 25 anos. Mencionada exposição deve ter sido habitual e permanente, não ocasional nem intermitente durante todo o período de atividade laborativa.
  1. Como é a gestão do Governo em relação à Previdência Social?
Precária. O que se vê diariamente é que os cofres da Previdência Social estão “quebrados” e o Governo tenta resolver a questão dificultando o acesso aos benefícios e aumentando os fatores redutores da renda mensal. Enquanto não for modificada a forma de custeio e de administração dos recursos, a solução não pode ser dada em forma de redução de benefícios e aumento dos requisitos de elegibilidade. O problema está na má administração desses recursos.
  1. É comum ver casos em que a pessoa recebe um valor muito menor em relação ao que ela contribuiu. Por que isso acontece?
Isso ocorre em razão do mecanismo de cálculo que utilizada a média dos 80% das maiores contribuições do segurado entre o período de Julho/94 até um mês antes do requerimento do benefício. Como mencionado, os segurados sempre esperam que o benefício tenha valor aproximado ao último salário percebido antes de se aposentar, sem ter a informação de que a Lei determina seja feita a média do Período Básico de Cálculo.
Ademais, um dos maiores vilões responsáveis pela redução das aposentadorias é o Fator Previdenciário que incide após a realização da média das contribuições, que já vem em valores reduzidos e ainda sofre considerável queda após a aplicação do fator redutor, que leva em conta o tempo de contribuição, a idade do segurado e sua expectativa de vida.
  1. Sabe-se que a longevidade dos brasileiros tem aumentado e grande parte da população não realiza um planejamento financeiro para a aposentadoria. Qual o impacto que estes fatores geram para a população?
A falta de planejamento previdenciário faz com que os segurados tenham que se aposentar cada vez com idade mais avançada. As pessoas não se preocupam com os recolhimentos previdenciários no momento em que estão na ativa, preferindo, em muitos casos a informalidade, para gerar ganhos mensais maiores, sem pensar que o período sem recolhimentos será imprescindível para a aposentadoria no momento mais avançado da vida. Isso faz com que as pessoas acabem tendo que trabalhar mais a fim de atingir o tempo necessário à concessão dos benefícios. Além disso, as contingências sociais (doença, acidentes de trabalho etc) estão presentes no dia-a-dia do trabalhador que não pode ficar desatento acerca do seu planejamento previdenciário, o que pode lhe causar desamparo no momento em que mais precisa da proteção social. Não se pode esquecer, ainda,
  1. Quais os malefícios para as pessoas que não fazem um planejamento financeiro para sua aposentadoria?
Em alguns casos, o desamparo previdenciário, visto que sem o planejamento necessário o trabalhador pode se ver sem o benefício no momento em que mais precisar. Para aqueles que conseguem o benefício, a falta de planejamento financeiro gera, ainda, a necessidade cada vez mais gritante de o aposentado ter que continuar trabalhando mesmo após a concessão do benefício, para que possa manter condições dignas de sobrevivência, dado o valor reduzido das aposentadorias.
  1. Quais as dicas para as pessoas não se decepcionarem com suas aposentadorias?
Efetivamente planejarem sua vida previdenciária, enquanto ainda estão em condições de fazê-lo, ou seja, enquanto estão com saúde e em condições de trabalhar, mantendo a regularidade das contribuições e evitando períodos de trabalho informal sem recolhimentos previdenciários.
MaisPB 
Leia mais

Tovar quer agilidade no perdão de dívidas de agricultores


Tovar Correia Lima
O deputado estadual, Tovar Correia Lima (PSDB), solicitou urgência na tramitação de projeto que trata sobre o perdão de dívidas oriundas de operações de crédito rural na área de
atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O tucano, que se encontra em Brasília, entregou ofício no gabinete da deputada federal, Tereza Cristina (PSB), relatora do PLS 5.860/2013 na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara Federal. A parlamentar se comprometeu a emitir o seu parecer ainda esta semana sobre a matéria.
O projeto de lei trata sobre a gravidade da situação dos agricultores que se encontram com pendência junto aos bancos do Nordeste e o Administrador do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). “O governo federal tem a obrigação de reconhecer essa situação de vulnerabilidade do agricultor nordestino e oferecer condições de flexibilidade para a quitação de suas obrigações junto às instituições financeiras federais, principalmente quando se tratar de agricultores familiares e de mini, pequeno e médio produtores”, argumentou.
O problema do endividamento rural do Nordeste, conforme explicou Tovar, se arrasta há anos, principalmente devido às adversidades climáticas da região, que comprometem a produção e impedem a liquidação das dívidas pelos produtores, gerando mais encargos e elevando o valor da dívida, tornando-a impossível de pagar.
“Outro agravante reside no fato de que o Tribunal de Contas da União (TCU) tornou obrigatória a execução das dívidas em um curto período de tempo, o que pode resultar no leilão e perda de propriedades”, disse, acrescentando que as propostas de refinanciamento estão fora da realidade vivenciada pelos agricultores e não podem ser cumpridas.
De acordo com o parlamentar, a situação enfrentada atualmente pelos pequenos agricultores nordestinos assemelha-se àquela vivida pelos mutuários do antigo Banco Nacional de Habitação (BNH), na década de 80. Por causa dos juros elevados quanto mais o mutuário pagava, mais devia. “Os agricultores estão passando por sérias dificuldades e essa propositura vem para o aperfeiçoamento da gestão dos recursos públicos destinados à promoção do desenvolvimento regional. Os trabalhadores não gostam de dever não, mas não existe condições de quitar esses débitos”, destacou.
Leia mais

FGTS investe R$ 5 bi no financiamento de casa própria de até R$ 400 mil

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou hoje (26) injeção de R$ 5 bilhões ao programa Pró-Cotista para financiamento de casa própria até o valor de R$ 400 mil para famílias com renda acima dos limites do Programa Minha Casa, Minha Vida.

A medida autoriza o Ministério das Cidades a remanejar recursos do orçamento do FGTS, que este ano chega a R$ 63.9 bilhões, para financiamento da construção de imóveis cujo valor supere o teto atual de R$ 190 mil.
A partir desta autorização, o Ministério das Cidades vai regulamentar como será o remanejamento e o valor dos imóveis financiados com recursos do FGTS acima do valor do atual teto do Programa Minha Casa, Minha Vida.

O conselho também autorizou que o Comitê de Investimento analise aporte de R$ 10 bilhões para operações do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) em projetos financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
O banco vai oferecer uma carteira de R$ 25 bilhões em projetos a serem avaliados pelo Comitê de Investimento do FGTS, que indicará onde os recursos serão aplicados. O investimento será feito em empreendimentos novos em todo o território nacional.
Fonte: Agência Brasil
Leia mais

Bancos seguem Caixa e aumentam juros de financiamentos imobiliários

Depois de a Caixa Econômica Federal reajustar os juros dos financiamentos imobiliários, as demais instituições financeiras também subiram as taxas.
Segundo levantamento divulgado hoje (26) pela associação de consumidores Proteste, todos os bancos aumentaram os juros das linhas de crédito do setor entre março e maio deste ano.

As únicas linhas que não sofreram alteração nas taxas foram as do Programa Minha Casa, Minha Vida, oferecidas pela Caixa e pelo Banco do Brasil e que financiam moradias de até R$ 150 mil. As taxas continuam em 6,86% ao ano. Os bancos oficiais, no entanto, reajustaram os juros das demais modalidades de crédito imobiliário.

Para os empréstimos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), as taxas, que estavam entre 8,7% e 9,8% ao ano em março, subiram para uma faixa entre 9% e 11% ao ano em maio.

O SFH financia imóveis de até R$ 650 mil com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal, o SFH financia a compra de imóveis de até R$ 750 mil.

Pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), que financia imóveis acima de R$ 650 mil (ou R$ 750 mil nas quatro localidades acima), os juros passaram da faixa entre 9,4% e 11% ao ano para um intervalo entre 10,3% e 11,6% ao ano.

As taxas variam conforme a instituição financeira e o grau de relacionamento entre o cliente e o banco. Correntistas e donos de contas salário conseguem taxas mais baixas.

O Proteste também mediu o custo efetivo total (CET), que mede não apenas os juros, mas também impostos, taxas de administração e encargos financeiros. À exceção dos financiamentos do Minha Casa, Minha Vida, todas as modalidades sofreram reajuste.

Para imóveis de R$ 150 mil fora do programa habitacional federal com 20% de entrada e 30 anos de prazo, o CET subiu de 9,9% a 10,99% ao ano para 11,17% a 12,01% ao ano.

Nos financiamentos de R$ 400 mil, também com 20% de entrada e 30 anos de prazo, o CET passou de 9,31% a 10,6% ao ano para 9,61% a 11,64% ao ano. Nos empréstimos para unidades de R$ 800 mil com 30% de entrada e 30 anos de pagamento, o CET aumentou de 9,98% a 11,48% ao ano para 11% a 12,72% ao ano.
Fonte: Agência Brasil
Leia mais

Ônibus de Campina terão GPS e passageiros poderão monitorar pela internet

Os passageiros dos ônibus do sistema de transporte público de Campina Grande agora poderão acessar na internet os horários e rotas de cada veiculo.

Essa novidade faz parte de um projeto, que está sendo desenvolvido pela STTP em parceria com a UFCG.

O próximo passo desse projeto é o monitoramento em tempo real do veículo. Nessa segunda fase os ônibus serão equipados com um aparelho tipo GPS que permitirá o monitoramento do veículo.
Leia mais

Oposição protocola representação contra Dilma

Josias de Souza
Conforme anúncio feito na semana passada, os partidos de oposição protocolaram nesta terça-feira na Procuradoria-Geral da República uma representação criminal contra Dilma Rousseff. Na petição, pedem que a presidente seja responsabilizada pelas chamadas “pedaladas fiscais.”
Assinam a representação os líderes do PSDB, DEM, PPS e SD na Câmara e no Senado. O documento foi redigido pelo jurista Miguel Reali Júnior. Com essa iniciativa, a oposição trilha uma picada alternativa ao pedido de impeachment. “Não foi um recuo”, disse Reali Júnior em entrevista. “Foi uma questão de estratégia, de saber qual era o melhor caminho neste instante. […] O processo criminal é mais grave do que o impeachment.''
– Aqui, a íntegra da representação contra Dilma.
Leia mais

PMCG busca parceria com Cabedelo para fortalecer Complexo Aluizio Campos

A Prefeitura de Campina Grande está buscando juma parceria com o município de Cabedelo com o objetivo de agregar valores e uma melhor condução do Complexo Aluizio Campos, empreendimento em fase de instalação numa área de mais de 800 hectares, no Ligeiro.

Segundo o secretário de Obras de Campina Grande, André Agra, a ideia é construir uma parceria estratégica de atuação em conjunto para tentar viabilizar o Porto de Cabedelo, através do Complexo Aluizio Campos e buscar o restabelecimento do modal Ferroviário.

O primeiro importante passo para a parceria, por recomendação do prefeito Romero Rodrigues, deu-se em reunião nesta segunda-feira, em Cabedelo, com as presenças do chefe do executivo daquele município, Wellington Viana, ‘Leto Viana’, os secretários André Agra e Luiz Alberto, de Obras e de Desenvolvimento Econômico, respectivamente, e empresários do setor logístico e do ferroviário, interessados em investir no Porto.

“Romero provocou a reunião, o prefeito de Cabedelo e os empresários concordaram e nós iniciamos as discussões para buscarmos esta parceria, considerando três aspectos: o Porto de Cabedelo, o Complexo Aluizio Campos e o Modal Ferroviário” ressaltou André Agra, acrescentando que a expectativa é de se criar uma demanda grande para o Porto, importante para todos os entes envolvidos.

O próximo passo para que possa acontecer a parceria, o mais breve possível, segundo o secretário será a visita do prefeito ‘Leto’ Viana, ao Complexo Aluizio Campos, nos próximos dias.
Fonte: Codecom/CG
Leia mais

PT critica PT

Senador petista endurece as críticas contra ministro de Dilma
<
Foto: Agência Senado

O senador Lindbergh Farias (PT-SP), que endureceu as críticas à política econômica do governo e chegou a pedir a demissão de Joaquim Levy da Fazenda, disse em entrevista que o governo precisa mudar o rumo da economia se quiser dar certo, informa o jornal Valor Econômico.
Ele afirmou que Lula não está por trás do movimento de frente de esquerda no Rio, mas disse que é justamente a candidatura de Lula em 2018 que está ameaçada se o governo Dilma insistir em políticas fiscal e monetária que "estão levando o País a uma recessão, mistura explosiva, que pode ser mortal para o nosso projeto de País".
Leia mais

Falta de água teria levado empresa a dar férias coletivas a 4 mil funcionários na Paraíba


Informações foram confinadas por funcionários; por meio de nota, a Alpargatas informou que “está concedendo férias coletivas aos empregados das unidades de Campina Grande e Alagoa Nova, em virtude da adequação da produção à demanda de mercado”
Reprodução/Site Camago Corrêa
Alpargatas Campina Grande
Empregados da Alpargatas disseram nesta terça-feira (26) que cerca de 4 mil funcionários da empresa terão férias coletivas de 1 a 15 de junho em Campina Grande e um dos motivos seria o racionamento de água na cidade. Em nota, a Alpargatas não deu detalhes do caso e disse apenas que as férias coletivas ocorrem para "adequação da produção à demanda de mercado”. O assunto está repercutindo nas redes sociais e grupos de WhatsApp e, entre os comentários, citam que a Embratex/Coteminas também teria tomado a mesma iniciativa.


Na Alpargatas, funcionários disseram que os motivos seriam as vendas fracas e o estoque parado, o que motivou a paralisação da produção por 15 dias. Outro assunto levantado foi a falta de água na cidade, que estaria prejudicando a produção das fábricas na região. A empresa tem 11 mil funcionários em unidades instaladas nas regiões de João Pessoa e Campina Grande.


Por meio de nota, a Alpargatas informou que “está concedendo férias coletivas aos empregados das unidades de Campina Grande e Alagoa Nova, em virtude da adequação da produção à demanda de mercado”. Não foram repassados mais detalhes, como se a crise hídrica seria um motivo ou quantos funcionários estão saindo em férias.

Quanto à Embratex/Coteminas, também citada em comentários de internautas pela mesma situação, a direção da empresa não foi encontrada para comentar o caso.

Campina Grande e outras cidades próximas, da mesma região, são abastecidas pelo açude de Boqueirão, que tem cerca de 20% da capacidade total de armazenamento.

Devido à falta de chuvas e a baixa nesse reservatório, o racionamento vai ser expandido na cidade, que já fica sem água nas torneiras por dois dias na semana. Portal Correio


Leia mais

População denuncia falta de efetivo policial e interior da Paraíba sofre com violência


TV Correio HD percorreu cidades do Cariri da Paraíba e registrou denúncias de moradores que sofrem com constantes assaltos e tiveram que modificar hábitos para tentar fugir de ações criminosas
Reprodução/Montagem - Portal Correio
Delegacia fechada e grades instaladas em Barra de Santana
Grades para todo lado. Esta foi a forma que a população de Barra de Santana, no Cariri paraibano, a 133 km de João Pessoa, encontrou para se sentir mais protegida dos bandidos. A cidade é alvo frequente de assaltantes. Para ter acesso aos dados da violência no local, uma equipe da TV Correio HD se dirigiu até a delegacia do município, mas encontrou o local fechado. Na porta, um aviso informa a população sobre o funcionamento da unidade, justificando que está fechada durante diligências, pois o número de policiais é reduzido


A população afirma que a presença da polícia na cidade não é frequente. Pessoas que não quiseram se identificar disseram que a Polícia Militar não fica na cidade e que a delegacia de Polícia Civil tem como funcionários apenas um delegado e um escrivão, que registram as ocorrências e vão embora. 

“Barra de Santana está precisando de um policiamento, pelo amor de Deus!”, disse uma senhora, que relatou que ocorrem assaltos constantemente e que a população se vê obrigada a ficar presa dentro de casa. Segundo ela, a PM vai ao município, faz apenas uma ronda, e, em seguida, vai embora.

Na cidade, o pastor de uma igreja evangélica mandou instalar grades de proteção, além das portas que já existiam, para a segurança dos fiéis. Na igreja Católica, o padre alterou o horário das missas. “Sempre era à tarde. Agora é de 9h da manhã”, disse um morador, que explicou que ainda há celebração nas noites de quinta-feira, mas a população fica apreensiva.

A violência alterou o ritmo de vida na cidade de tal modo que, em uma farmácia, os clientes nem sequer podem entrar no estabelecimento para comprar algo. A transação comercial se dá através de uma grade. O local é aberto apenas quando os funcionários conhecem o cliente.

O Conselho Tutelar do município revela que tem dificuldades em realizar trabalhos sem o apoio da polícia. Segundo o coordenador da instituição, sem o auxílio, fica difícil lidar com menores infratores.

Um comerciante local, que foi assaltado há poucos dias e teve um prejuízo de quase R$ 1 mil, relatou que não há condições de se trabalhar depois das 18h, sob o risco de arrastões. Ele disse que se sente humilhado e que pensa em fechar o bar do qual é proprietário e mudar de ramo. Ele informou que, quando sofreu o assalto, passou seis dias para poder prestar queixa, pois não encontrou polícia em Barra de Santana. Ele, então, teve que se dirigir à cidade de Queimadas.

A cerca de 35 km de distância fica a cidade de Caturité, também no Cariri. No local, a situação não é diferente. Uma moradora disse que a PM comparece ao município apenas nos fins de semana.

Comerciantes também relataram assaltos. Um deles ficou impressionado com a demora da PM em comparecer ao local. Outro profissional do comércio disse que só conseguiu registrar uma ocorrência criminosa indo à cidade de Boqueirão, a 15 km de distância. Ele evidenciou a falta de uma viatura policial em Caturité.
A Secretaria de Segurança e Defesa Social emitiu uma nota oficial sobre o problema da violência no Cariri da Paraíba. Leia abaixo o texto na íntegra:

"Os gestores das áreas citadas na reportagem já estão cientes do problema. Eles estão adequando o efetivo para atender a demanda, o que deve acontecer o mais breve possível em decorrência da chegada dos novos delegados e agentes de investigação aprovados no último concurso da Polícia Civil, que já estão sendo designados para ocupar as delegacias no interior do Estado." 

 Portal Correio
Leia mais

PSDB dividido e guardando rancores na PB

NINHO DIVIDIDO: declarações na imprensa explicitam distanciamento de líderes tucanos na Paraíba

NINHO DIVIDIDO: declarações na imprensa explicitam distanciamento de líderes tucanos na Paraíba
A escolha de Wilson Santiago (PTB) como candidato ao Senado na chapa tucana ainda não foi digerida pelo ex-senador Cícero Lucena (PSDB)que não disputou a reeleição por causa de uma vontade pessoal do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) que se mostrou contrário a realização de uma chapa puro-sangue.

Passados mais de seis meses do embate eleitoral e nível de estremecimento distanciamento na relação dos tucanos para que continua acentuado e deu para ser contatado durante declarações de Cássio e Cícero a imprensa.


Fingindo que a relações é das melhores , o senador Cássio, líder do PSDB no Senado Federal, foi interpelado durante entrevista nesta terça-feira (25) ao Sistema Correio de Comunicação e garantiu espaço e legenda para o ex-senador Cícero Lucena (PSDB) ser o candidato do PSDB na disputa pela prefeitura de João Pessoa nas eleições municipais de 2016.


De acordo com o tucano, se esse for o desejo de Cícero, ele terá o apoio irrestrito e incondicional da legenda, até mesmo para compensar o estremecimento político com o ex-senador nas eleições de 2014, ocasião em que, por força da necessidade de composições político-partidária, o aliado teve que ficar de fora da chapa.


“Eu conversei com Cícero recentemente sobre o cenário para sucessão municipal na Capital, não há nenhuma decisão tomada pelo partido, mas obviamente que a decisão que Cícero vier a tomar nós acataremos. Já tivemos dificuldades nas eleições estaduais de 2014, a Paraíba inteira lembra que em decorrência da necessidade das alianças que fizemos não foi possível Cícero disputar a eleição para o senador, mas agora, é obvio que se ele pretender disputar a prefeitura de João Pessoa não há nem o que se discutir. Ele tem a legenda, tem o apoio incondicional, tem a solidariedade irrestrita, completa e absoluta do partido”, declarou Cássio.


Ontem, em entrevista ao Sistema Arapuan, o presidente do PSDB na Paraíba, Ruy Carneiro, também colocou seu nome à disposição do partido para disputar o pleito na Capital em 2016. Ruy, no entanto, assim como Cássio, deixou as portas do PSDB abertas para a postulação de Cícero Lucena.


Já na parte da tarde, Cícero se posicionou sobre o assunto, não agradeceu a lembrança do líder da família Cunha Lima porém fechou as portas para o PSDB ao dizer que a sua aposentadoria política na é fato consumado.


“Não vou voltar atrás. Fui bem claro na carta que escrevi ao povo de João Pessoa e da Paraíba, quando encerrei a minha vida pública. Sou grato a Deus e o povo que confiou tantos desafios a mim. Minha contribuição com a vida pública está encerrada!”, desabafou descartando a possibilidade que sua esposa Lauremilia Lucena ou algum outro parente sigam a sua trajetória política.


Se depender das declarações de Lucena, Cássio terá que bater na porta de outro tucano se quiser ter candidato a Prefeitura de João Pessoa nas eleições 2016.



PB Agora
Leia mais

Oposição entregou a vitória a Dilma no Senado

Josias de Souza
Foi apertada a vitória do governo na primeria batalha do ajuste fiscal no Senado. A proposta que endurece as regras para a concessão de seguro-desemprego, abono salarial e seguro ao pescador artesanal passou por uma diferença de apenas sete votos. Votaram a favor 39 senadores. Contra, 32. Dilma Rousseff só prevaleceu porque foi socorrida por senadores dos dois principais partidos de oposição (PSDB e DEM) e de uma legenda que se diz “independente” (PSB).
Os antagonistas de Dilma ajudaram o governo de duas maneiras, ora votando a favor ora ausentando-se do plenário. Disponível aqui, a íntegra da lista de votação vai reproduzida no rodapé desta notícia. Abaixo, um resumo do que sucedeu:
1Traições: As lideranças do PSDB e do PSB orientaram seus senadores a rejeitarem a proposta do governo. A despeito disso, votaram a favor a senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) e os senadores Fernando Coelho (PSB-PE) e Roberto Rocha (PSB-MA). Se esses três congressistas tivessem seguido a orientação dos seus partidos, os 39 votos do governo cairiam para 36. E os 32 votos contrários à proposta subiriam para 35. A diferença cairia de sete para apenas um voto.
2Ausências: quatro senadores filiados à oposição estavam ausentes do plenário na hora da votação. Deixaram de registrar seus votos no painel eletrônico do Senado: Antonio Anastasia (PSDB-MG), Alvaro Dias (PSDB-PR), Wilder Moraes (DEM-GO) e Maria do Carmo (DEM-SE). Se esses quatro senadores tivessem votado contra a proposta, o bloco anti-Dilma subiria de 35 votos para 39. E o placar teria sido de 39 votos contra o projeto e 36 a favor. Assim, a oposição livrou o governo de uma humilhante derrota por uma diferença de três votos.
3Preliminar: antes da batalha principal, houve uma preliminar. Os senadores tiveram de opinar sobre a constitucionalidade da proposta. O texto foi considerado constitucional por um placar ainda mais apertado: 36 a 32. Diferença de escassos quatro votos. De novo, a oposição salvou Dilma. Nessa rodada, também votaram a favor do governo a senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) e os senadores Fernando Coelho (PSB-PE) e Roberto Rocha (PSB-MA). Se os três tivessem acompanhado a orientação de suas legendas, o total de votos favoráveis ao governo cairia de 36 para 33. E o bloco do contra pularia de 32 para 35. Já seria suficiente para derrotar Dilma. O vexame seria maior não fosse pela ausência de Antonio Anastasia (PSDB-MG) e por um apagão de José Serra (PSDB-SP), que “esqueceu” de votar nessa preliminar.
4Reincidência: Esta foi a segunda vez que as legendas que se opõem ao governo socorrem Dilma na tramitação do ajuste fiscal. Quando a mesma proposta foi votada na Câmara, na noite de 6 de maio, o Planalto livrou-se da derrota graças aos 19 votos que obteve nas fileiras rivais. Relembre aqui.
5Pseudoaliados: uma vez mais, ficou evidente que aquilo que o governo chama de “base aliada” tornou-se uma espécie de queijo suíço integralmente feito de buracos. Nem o PT entregou 100% dos seus votos a Dilma. Votaram contra o arrocho nos benefícios trabalhistas três senadores petistas: Lindbergh Farias (RJ), Paulo Paim (RS) e Walter Pinheiro (BA). No PMDB, disseram “não'' ao governo Ricardo Ferraço (ES) e Roberto Requião (PR). Houve traições também no PDT, no PTB e no PSD. Entre os silvérios está Fernando Collor (PTB-AL). Abaixo, a íntegra da lista de votação:
Leia mais
 
FALA PREFEITO | Layout: Lenildo Ferreira Consultoria em Comunicação Contato © Blog de responsabilidade do radialista Edson Pereira